Archive | março, 2017

Secretário Adelmo Soares consegue conquistas para Escolas Rurais da Região Leste

23 mar

A frente da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), o secretário Adelmo Soares vem atuando de forma positiva em projetos que garantem a dignidade de centenas de maranhenses na zona rural. Desta vez, após cumprir intensa agenda na região leste maranhense na última quarta-feira (16), ao lado do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, o gestor da SAF assegurou, por meio da publicação de chamada pública, um investimento de mais de R$ 17 milhões para construção de cisternas escolares em 112 municípios maranhenses.

Dividido em 06 lotes, de acordo com as regiões maranhenses, o edital de Nº02/2017 destinará para o leste maranhense aproximadamente R$ 1.500.00,00 em investimentos, que impactarão positivamente os municípios de Aldeias Altas, Caxias, Codó, Duque Bacelar, Timon e São João do Sóter com a construção de 106 cisternas que visam garantir segurança alimentar e nutricional, além de água para consumo em escolas localizadas na zona rural, atingidas pela seca ou falta regular de água.

De acordo com o secretário da SAF, “quando investimos em eixos como educação e produção, garantimos o retorno para a população, pois impactamos diretamente na vida daqueles que nos ajudarão a construir o Maranhão de Todos, como sempre afirma o governador Flávio Dino. Através, das cisternas escolares, estaremos atuando para milhares de crianças, jovens e adultos de comunidades que antes eram invisíveis em nosso Estado; ofertamos não apenas qualidade, oferecendo melhores condições de ensino, mas também damos a oportunidade de sonhar com um futuro melhor, ao transformamos realidades”, afirmou Adelmo Soares.

 

INFORMAÇÕES

 

O Programa Cisternas faz parte de um conjunto de ações do Governo Federal, executado por meio do Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário. No Maranhão, a realização do programa, vem por intermédio das esferas do governo federal e estadual, através do Sistema SAF (SAF/AGERP/ITERMA).

Poderão participar deste edital as entidades privadas sem fins lucrativos credenciadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, nos termos da Portaria MDS nº 99/2013, de 20 de setembro de 2013, credenciadas até o momento da publicação da presente chamada pública.  As empresas interessadas em participar do processo de Chamada Pública para implantação de tecnologias social de acesso a água para consumo nas escolas devem acessar o edital disposto no site da SAF: http://www.saf.ma.gov.br/

Câmara aprova texto principal que permite terceirização irrestrita

23 mar

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta-feira, 22, projeto de lei de 19 anos atrás que permite terceirização irrestrita em empresas privadas e no serviço público. A proposta também amplia a permissão para contratação de trabalhadores temporários, dos atuais três meses para até nove meses – seis meses, renováveis por mais três.

O texto principal do projeto foi aprovado por 231 votos a 188. Houve ainda oito abstenções. O placar mostra que o governo terá dificuldades para aprovar as reformas trabalhista e, principalmente, a da Previdência, que será votada por meio de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que exige um mínimo de 308 votos favoráveis na Câmara.

A Câmara não pôde incluir inovações no texto. Isso porque a proposta, de 1998, já tinha passado uma vez pela Casa, em 2000, e pelo Senado, em 2002. Com isso, deputados só puderam escolher se mantinham integral ou parcialmente o texto aprovado pelo Senado ou se retomavam, integral ou parcialmente, a redação da Câmara.

O texto final aprovado, que seguirá para sanção do presidente Michel Temer, autoriza terceirização em todas as atividades, inclusive na atividade-fim. Atualmente, jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho (TSE) proíbe terceirizar atividade-fim da empresa. Por exemplo, um banco não pode terceirizar os atendentes do caixa.

No caso do serviço público, a exceção da terceirização será para atividades que são exercidas por carreiras de Estado, como juízes, promotores, procuradores, auditores, fiscais e policiais. Outras funções, mesmo que ligadas a atividade-fim, poderão ser terceirizadas em órgãos ou empresas públicas.

O projeto final também regulamentou a responsabilidade “subsidiária” da empresa contratante por débitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores terceirizados, como acontece hoje. Ou seja, a contratante só será acionada a arcar com essas despesas se a cobrança dos débitos da empresa terceirizada contratada fracassar.

O texto que seguiu para sanção prevê ainda um escalonamento do capital social mínimo exigido de uma empresa de terceirização, de acordo com o número de funcionários. O capital social mínimo exigido vai de R$ 10 mil, para companhias com até 10 funcionários, a R$ 250 mil, para empresas com mais de 100 trabalhadores.

Hoje, não há essa exigência na iniciativa privada. Já no serviço público, a empresa contratante é que determina na hora da contratação qual deve ser o capital social mínimo da companhia de terceirizados. Inicialmente inserida na proposta, a anistia de “débitos, penalidades e multas” impostas até agora às empresas foi retirada do texto pelo relator para facilitar a aprovação do projeto. O governo era contra a medida. Segundo o relator do projeto na Câmara, Laércio Oliveira (SD-SE), essas dívidas hoje somam R$ 12 bilhões.

A oposição criticou a votação do projeto, sob o argumento de que representa um retrocesso e prejudica os trabalhadores. Opositores tentaram negociar, sem sucesso, o adiamento da votação. Eles queriam que, em vez da proposta de 1998, fosse votado um projeto de 2015 que regulamenta a terceirização, já foi votado na Câmara e está parado no Senado.

Na avaliação de deputados da oposição e das centrais sindicais, a proposta mais recente oferece mais salvaguardas aos trabalhadores. O projeto de 2015 traz garantias, como a proibição de a empresa contratar como terceirizado um funcionário que trabalhou nela como CLT nos últimos 12 meses.

Para opositores, a aprovação do projeto anula a reforma trabalhista que está em discussão na Câmara. “Se a terceirização for votada hoje, ela anula esta comissão. Se for votada, a reforma trabalhista vai perder muito o sentido”, disse o deputado Paulão (PT-AL).

O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), por sua vez, saiu em defesa da proposta. Segundo ele, o projeto vai permitir a geração de empregos. “O Brasil mudou, mas ainda temos uma legislação arcaica. Queremos avançar em uma relação que não tira emprego de ninguém, que não vai enfraquecer sindicatos”, disse.

Fonte: Estadão

Governo anuncia rombo de R$ 58,2 bi no orçamento de 2017 e deve aumentar impostos

23 mar

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou nesta quarta-feira (22) que vê uma deficiência de R$ 58,2 bilhões no orçamento de 2017. Em coletiva, porém, Meirelles ressaltou que este não é o valor final do contingenciamento, que deve ser anunciado na próxima terça-feira (28). Mais cedo, em documento distribuído à imprensa, o governo disse que esse era o valor do corte, mas o número final será menor que este, segundo Meirelles.

O ministro não afastou a possibilidade de aumentos de tributos, se necessário. “É uma grande possibilidade [subir tributos]“, disse Meirelles. A ideia do corte ou do aumento de impostos visa ajudar o governo a atingir a meta fiscal de déficit de R$ 139 bilhões. Segundo a jornalista Miriam Leitão, do jornal O Globo, já foi decidido que haverá um aumento de impostos.

Meirelles explicou que este ”adiamento” do corte de orçamento ocorreu porque há ações judiciais no STF e STJ que podem impactar positivamente as receitas esperadas para este ano. Segundo ele, as decisões da Justiça podem chegar a R$ 18 bilhões.

A previsão para este ano é de queda de R$ 55,340 bilhões nas receitas e aumento de R$ 3,406 bilhões nas despesas, segundo relatório divulgado pelo ministério do Planejamento. O governo também afirma que as previsões de arrecadação com concessões e venda de ativos, as chamadas receitas extraordinárias, estão mais realistas.

Mais cedo, o governo reduziu sua expectativa para o crescimento do país, passando de 1% para 0,5%.  No último relatório Focus divulgado pelo Banco Central, as projeções de mercado apontam para uma alta de 0,48% no PIB de 2017. Para 2018, a Fazenda prevê expansão do PIB de 2,5%.

 

Fonte: InfoMoney

Magno Magalhães aprensenta uma solução simples, que pode ajudar no combate ao Aedes Aegypti em Caxias

23 mar

No ano passado, tivemos um surto enorme de chikungunya em Caxias. A cidade foi tomada por pessoas doentes e o hospital geral vivia lotado.

Com o período chuvoso, a tendência do surto de aedes aegypti voltar é enorme. Com a saúde não muito bem das pernas, já que houveram alguns cortes de verbas estaduais, não teria como atender um número elevado de pacientes.

Campanhas de conscientização até vem sendo feita por parte da Prefeitura (sinto falta de algo mais ativo, uma campanha maior). Infelizmente, sabemos que muitas pessoas não se prontificam a fazer a sua parte e tomar os cuidados necessários para que o mosquito não se prolifere.

Além dos cuidados básicos, como: combater os focos de acúmulo de água e locais propícios para a criação do aedes aegypti, existe uma possível solução que é bem interessante. Essa solução foi discutida na sessão desta segunda(20), pelo vereador Magno Magalhães. Existe a semente de uma planta, chamada Crotalária. Essa planta atrai uma libélula que é predadora do mosquito e a larva dela também elimina a larva do aedes aegypti.

Além de mutirões de conscientização, fiscalização e limpeza (a cidade está bem suja, isso deve ser trabalhado também na forma de conscientização), seria interessante que mudas dessas plantas fossem distribuídas para a população. Já que podem ser cultivadas em pequenos quintais, por ser uma planta de pequeno porte, a Crotalária mede até 1 metro, tem uma aparência bonita(ajuda até para deixar o quintal mais bonito) e não dá muito trabalho para plantar (pode ser plantada em pequenos baldes de plástico).

Magno disse que vai fazer um plantio em alguns bairros e futuramente, pretende repassar as mudas para que sejam plantadas em vários pontos da cidade. Com a união e a conscientização da população, podemos combater o aedes aegypti e evitar que o surto de dengue, zica e chikungunya não volte a se espalhar em Caxias.

Vereador morre em Caxias. Suspeita é de que tenha sido suicídio

21 mar

 

Na final da tarde desta terça (21), o Vereador Evilásio do Pam supostamente cometeu suicídio em sua residência.

O corpo foi encontrado por vizinhos, que acionaram a polícia. Foi constatado que Evilásio estava com um ferimento de bala na cabeça.

Evilásio estava em seu primeiro mandato de vereador em Caxias, havia sido eleio com 1.111 votos pelo partido Solidariedade, na coligação Amizade Solidariedade e Trabalho. Ainda não se sabe o que pode ter levado o vereador a cometer esse ato.

Evilásio deixa esposa e dois filhos.

Escândalo da carne lança dúvida sobre agronegócio, “pilar” da economia brasileira, diz NYT

18 mar

O escândalo envolvendo mais 30 empresas alimentícias brasileiras acusadas de mudar a data de vencimento de carnes estragadas, maquiar seu aspecto ou usar químicos para mascarar o mau cheiro teve grande repercussão internacional.

Ao abordar a operação chamada “Carne Fraca” da Polícia Federal, algumas publicações mencionaram as consequências que a investigação poderá ter para a economia brasileira, já que ela atinge um dos principais produtos de exportação do país.

Para o New York Times, o escândalo “lança dúvidas sobre a indústria do agronegócio no Brasil, um pilar relativamente firme da fraca economia do país”. O jornal ainda diz que a investigação é mais um “golpe” na economia brasileira, que tem “lutado para se recuperar de escândalos colossais na Petrobras, a companhia nacional do petróleo, e na Odebrecht, uma construtora gigante.”

A operação deflagrada nesta sexta-feira é a maior da história da Polícia Federal e atinge duas das principais exportadoras do país – e maiores fornecedoras mundiais de carne -, a JBS e a BRF.

Segundo as autoridades, as ações fraudulentas incluíam alterar os rótulos e as datas de vencimento dos produtos, injetar água na carne para aumentar seu peso e tratar as carnes com ácido ascórbico, substância potencialmente cancerígena. Alguns desses produtos, inclusive, teriam sido vendidos para fabricação de merenda escolar de colégios públicos no Paraná.

Ainda de acordo com a investigação, as carnes adulteradas acabavam aprovadas por fiscais do Ministério da Agricultura, que recebiam suborno das empresas para isso. O New York Times menciona o vínculo dessas propinas com o PMDB.

“Fiscais falsificavam liberações sanitárias, e propinas eram canalizadas para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, do presidente Michel Temer, segundo autoridades”, afirma o jornal.

A publicação ainda cita que “a JBS é uma das maiores produtoras de carne do mundo e que a BRF é uma grande exportadora de carne para o Oriente Médio e a Ásia”.

O britânico Financial Times também levanta dúvidas sobre o futuro da indústria da carne no Brasil após o escândalo.

“A investigação – que a polícia afirma ter envolvimento de fiscais da saúde e políticos do Partido do Movimento Democrático Brasileiro recebendo propina das empresas – vai levantar preocupações sobre a indústria da carne brasileira, que ascendeu na última década para se tornar uma das mais importantes do mundo”, afirma o jornal.

Outras manchetes

Os principais jornais do mundo noticiaram o que chamaram de “escândalo da carne no Brasil”. O britânico The Telegraph citou as acusações de corrupção para “manter a carne podre no mercado”.

“Empresas brasileiras ‘subornaram fiscais para manter carne podre no mercado’ e se envolveram em investigação de corrupção”, dizia a manchete. O jornal também mencionou o possível impacto do escândalo na economia brasileira.

“As autoridades alertaram que o caso foi um duro golpe para a imagem internacional do setor de agronegócio brasileiro, com o qual o governo contava fortemente para ajudar o Brasil a se recuperar da pior recessão em décadas.”

“Ações da JBS fecharam na sexta em queda de mais de 11%, enquanto as da BRF caíram quase 8%”, pontuou a publicação.

Nos Estados Unidos, o assunto também ganhou destaque nos principais jornais. Além do New York Times, a CNN também falou sobre o caso, citando a “carne podre”, e o Washington Post ressaltou o esquema de corrupção.

“Brasil investiga gigantes de alimentos que estariam vendendo carne podre”, era a manchete do canal americano, enquanto a publicação da capital trazia: “Gigantes indústrias de carne do Brasil são alvo em investigação sobre corrupção”.

 

Fonte: BBC Brasil

Só este ano agricultores familiares do Estado já tem assegurado para comercialização R$ 11 milhões

18 mar

 

“Desde o início da nossa gestão o nosso foco é fortalecer a agricultura familiar. Esse incentivo do Governo do Estado com a execução do Programa de Aquisição de Alimentos- PAA, vai ajudar bastante nossos agricultores familiares, que terão venda garantida de sua produção. Nós daremos todo o suporte para a boa execução do Programa no nosso município que é um dos atendidos pelo Plano Mais IDH.  Temos cadastrados um hospital, uma escola e ainda um Centro de Referência da Assistência Social (Cras) que irão receber os alimentos produzidos por nossos agricultores familiares”, contou cheio de orgulho o prefeito Adelbarto Rodrigues de São Francisco do Maranhão.

Para a prefeita de Presidente Sarney, Valéria Castro, o apoio do Governo do Estado será um grande incentivo para o setor produtivo do município. “Com esse apoio a nossa agricultura familiar está vivendo um momento ímpar de satisfação e eu tenho certeza que esse é o começo de um novo tempo no nosso município”, finalizou.

O município de Presidente Sarney e São Francisco do Maranhão e mais 42 municípios, assinaram o Termo Cooperação Técnica, de R$ 3.250.000,00, com o Governo do Estado para executar o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), em solenidade na última terça-feira (14).

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, explicou que o PAA avançou muito no Maranhão. Segundo ele, o Governo vem evoluindo quando comparado ao ano de 2014, onde 2.794 agricultores foram beneficiados movimentando cerca de R$ 6 milhões. Em 2016 os números mostram que 3.604 agricultores foram beneficiados e mais de R$ 13 milhões movimentados. Para este ano, o Estado já tem garantido cerca de R$ 11 milhões para ser executado beneficiando 78 municípios.

Ainda segundo o secretário os resultados positivos das ações do PAA no Maranhão são decorrentes da eficácia do governo Flávio Dino na divulgação do programa por meio do Sistema de Agricultura Familiar, realizado em conjunto com a Superintendência de Comercialização e a Coordenação de Compras Institucionais da SAF. “Os programas executados por meio do Sistema SAF vêm conseguindo ao longo destes últimos anos levar dignidade ao agricultor rural, e aos poucos, sinto que estamos conseguindo transformar vidas de inúmeras famílias”, concluiu.

O Sistema SAF, por meio da Superintendência de Comercialização, gestores e técnicos da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural – Agerp estão percorrendo alguns municípios fazendo capacitação e monitoramento da execução do PAA. As visitas da equipe do Governo do Estado contam com as presenças dos agricultores beneficiados, representantes da prefeitura, conselhos de segurança alimentar e nutricional.

As reuniões são um momento de conversa e entendimento do programa, são tiradas as dúvidas dos agricultores e o momento de dar orientação para a execução da proposta de 2017. Até agora foram visitados 9 municípios (Presidente Sarney, Pedro do Rosário, Serrano do Maranhão, Porto Rico, Bacuri, Santa Filomena, Santo Antônio dos Lopes, Graça Aranha e Governador Eugênio Barros.

Justiça do Maranhão condena ex-prefeita símbolo de ‘ostentação’

16 mar

PF busca prefeita suspeita de desvios no Maranhão

 

A Justiça do Maranhão condenou a ex-prefeita de Bom Jardim (MA), Lidiane Leite da Silva (DEM), por atos de improbidade administrativa durante sua gestão entre 2012 e 2015. Sua figura ficou conhecida por estar envolvida em esquemas de corrupção, enquanto ostentava carros luxuosos e roupas de marca nas redes sociais.

De acordo com o UOL, Lidiane é acusada de reduzir salários de professores sem justificar a ausência de recursos nos cofres municipais. O juiz Raphael Leite Guedes acatou as denúncias do MPE (Ministério Público Estadual) e suspendeu os direitos políticos da ex-prefeita.

A sentença, proferida na última segunda (13), também determina uma multa de 50 vezes o valor da remuneração de Lidiane, cujo valor será revertido aos cofres municipais.

 

Fonte: Notícias ao Minuto

Região dos Cocais recebe duas novas subestações de energia – Baú e Engenho D’água

16 mar

A Companhia Energética do Maranhão – Cemar inaugura nesta sexta-feira (17), as novas Subestações nos povoados de Baú e Engenho D’água na cidade de Caxias, duas das importantes obras da Torre de Investimento da Cemar que vão melhorar o fornecimento de energia para a região dos Cocais.

 

A inauguração da SE Engenho D’água acontecerá às 08h, já a SE Baú será às 11h e contará com a presença do Diretor de Distribuição da Cemar, Chrysthyan Almeida, gerentes e executivos da Companhia, além das autoridades e lideranças locais.

 

Em 2016, a Cemar apresentou a maior torre de investimentos da história da Companhia, para melhoria do fornecimento de energia do Estado. No cronograma estão ampliações e construções de novas subestações e linhas de transmissão, que possibilitam o fortalecimento e expansão do sistema elétrico para o Maranhão.

 

Com a construção da nova subestação Baú e da Linha de Transmissão, que liga Matões a Caxias, foram investidos aproximadamente 2,5 milhões de reais. Cerca de 60 mil pessoas da região de Caxias, Matões e Parnarama serão beneficiadas com essa obraJá na nova subestação de Engenho D’água foram investidos mais de 2 milhões de reais, beneficiando mais de 85 mil pessoas na região de Caxias e Timon.

 

As duas obras trarão mais qualidade de energia e, mais possibilidade de crescimento de mercado, pois com as novas subestações a rede se tornou mais potente e muito mais preparada para receber novos investimentos na região.

 

SERVIÇO

O quê: Inauguração das Novas Subestações Baú e Engenho D’água.

Quando: Nesta sexta-feira 17/03

Onde:

SE Engenho D’água - às 8h, na BR 316, próximo ao Povoado Brejinho – Caxias

SE Baú - às 11h, na MA 034, cruzamento com a BR 226, Povoado Baú – Caxias

 

Assessoria de Imprensa Cemar

Técnicos da Agerp recebem capacitação para atuar na Cadeia Produtiva de Feijão Caupi

16 mar

 

O Governo do Estado, por meio do Sistema de Agricultura Familiar, composto pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (ITERMA), realizou para técnicos da Agerp, nos dias 13 e 15, em Pedreiras, uma capacitação sobre a Cadeia Produtiva do Feijão Caupi.

A capacitação contou com o acompanhamento da equipe técnica do Sistema SAF, que ministrou o curso para 20 técnicos das regionais da Agerp de Bacabal, Presidente Dutra e Pedreiras. O objetivo dessa ação é qualificar os profissionais de assistência técnica na transferência de tecnologia de inoculação de feijão-caupi, cultura tradicional da agricultura familiar no estado e um dos principais componentes da dieta alimentar nas regiões Nordeste e Norte do Brasil, com adoção da fixação biológica de nitrogênio (FBN), que é uma alternativa tecnológica para o aumento da produtividade e diminuição dos Gases de Efeito Estufa (GEE), garantindo o fortalecimento da produção agrícola das famílias rurais maranhenses.

O secretário da SAF, Adelmo Soares, aponta para a importância do conhecimento como instrumento de mudança. “A chave para o desenvolvimento é o conhecimento. Se o Estado entra com a regularização das terras pelo Iterma, órgão também recuperado pelo governador Flavio Dino, com assistência técnica pela Agerp e o fomento estadual ou federal, garantindo a produção, temos desenhado um dos principais caminhos para o desenvolvimento do nosso estado. Então, nós acreditamos muito no conhecimento e no trabalho realizado pelos técnicos como base para o crescimento do Maranhão”, afirmou o secretário.

O presidente da Agerp, Júlio Cesar Mendonça ressalta a importância da Agerp neste processo. “A Agerp vem dando continuidade a um trabalho diferenciado, levando inovação e desenvolvimento para o campo, com as cadeias produtivas que coordenamos. Com o início das capacitações e a difusão de conhecimento para os nossos técnicos, vamos proporcionar a transferência de tecnologia para o agricultor e a agricultora familiar, alavancando a produtividade e dando um salto na melhora da qualidade de vida das famílias.”

“É gratificante saber que a partir deste processo de conhecimento e acesso a essas novas tecnologias, poderemos contribuir para uma mudança efetiva na vida de milhares de agricultores familiares, sendo possível também, proporcionar um desenvolvimento sustentável no nosso Estado”, disse o técnico da regional da Agerp de Pedreiras, José Raimundo Maia.

Para Luciana Coutinho, coordenadora de formação e capacitação da Agerp, com os cursos, os técnicos vão oferecer as famílias rurais uma assistência técnica continuada e de qualidade. “Com as capacitações das Cadeias Produtivas, que serão realizadas ate setembro deste ano, vamos garantir processo de atualização de conhecimento dos técnicos, que atuarão como um multiplicadores em campo, reforçando a imagem deste agente de transformação da realidade de diversas famílias rurais”, frisou a coordenadora.

As capacitações terão continuidade com os cursos de capacitação da Cadeia Produtiva de Ovinocaprino, nos dias 16 e 17 e Mandioca, entre 21 e 23, para os técnicos da regional da Agerp de Chapadinha.

Cadeia produtiva do feijão Caupi.

A Cadeia Produtiva do Feijão Caupi beneficiará 300 famílias, que receberão fomento no valor de R$ 2.700, distribuídas nos municípios: Bernardo do Mearim, Esperantinópolis, Igarapé grande, Lima Campos, Pedreiras, Poção de Pedras, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto e Trizidela do Vale, Joselândia, Santo Antônio dos Lopes, São Luís Gonzaga do Maranhão, Lago da Pedra, Lago do Junco e Lago dos Rodrigues e Capinzal.

Mais produção

O ‘Mais Produção’ integra parte das estratégias do Sistema Estadual de Produção e Abastecimento (Sepab) e é voltado para o fortalecimento da produção agropecuária no estado.

O programa define 10 cadeias produtivas prioritárias (feijão, arroz, mandioca, carne e couro, ovinocaprinocultura, leite, avicultura – caipira e industrial, piscicultura, hortifruticultura e mel) a serem trabalhadas com foco no abastecimento do estado e na busca pela autossuficiência. O Sistema Saf é responsável pela coordenação das cadeias Ovinocaprino, Aves Caipira, Mel, Feijão Caupi, Hortifruti (Abacaxi Turiaçu), Hortifruti (Caju Delta) e Mandioca.