Agricultoras familiares se destacam em vendas pelo PAA em Junco do Maranhão

14 jul

 

Em apenas uma semana 12 agricultores familiares do município de Junco do Maranhão, distante de São Luís 485 km, comemoram a venda de cerca de R$ 10 mil reais de produtos da agricultura familiar. A venda foi feita na última semana de junho e nesta quinta-feira (13), em solenidade no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Junco, o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares assinou a liberação do Pagamento.

 A agricultora familiar, Benedita Correa de 36 anos anos, leva uma vida modesta em sua terra, no município de Junco do Maranhão. Mas a situação dela nunca foi tão boa porque tinha dificuldades de vender sua produção de abóbora e farinha. Ela precisava se deslocar até os municípios de Maracaçumé e Carutapera para vender sua produção.

“Antes, eu não tinha para quem vender, perdia muitos produtos. Agora, tenho comprador certo. Isso me ajudou demais. Esse projeto trouxe o reconhecimento do que é a agricultura familiar. Hoje temos mercado e isso estimulou a gente a produzir mais”, comemora.

 O comprador certo de dona Benedita Corrêa é o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), ação executada direto com o Estado por meio da secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF). O PAA propicia a aquisição de alimentos de agricultores familiares, a preços compatíveis aos praticados nos mercados regionais, e a doação desses alimentos para entidades socioassistenciais.

Para o município de Junco do Maranhão são 17 agricultores beneficiados com recurso de R$ 100 mil reais garantidos para comercialização.

“A aquisição desses produtos beneficia os produtores e as regiões em que vivem. Além disso, o PAA também garante uma alimentação saudável para os usuários dos serviços que recebem a doação dos alimentos adquiridos pelo programa. Se depender do governo do Estado, mais agricultores serão beneficiados porque nós temos um governador sensível e que governa para todos”, concluiu o secretário da SAF, Adelmo Soares.

O secretário informou ainda que a cadeia produtiva do Mel vai beneficiar 200 aquiculrores com investimento de R$ 505 mil reais para adequação de Agroindústria e equipamentos, máquinas e veículos no município de Junco do Maranhão.

Para o prefeito de Junco do Maranhão Antônio Filho esse projeto além de fortalecer a agricultura familiar no município, que é muito forte, também garante renda para essas famílias.

Estavam presentes na solenidade a vice prefeita Fernada, o secretário de agricultura de Junco Elias Martins, técnicos do Mais IDH, secretária de assistência social de Amapá do Maranhão, Neth Reis, a presidente do STTR, Edilene Costa, o presidente da Câmara, Nailton Abas.

 

Avanço do PAA no Maranhão

 

Em 2014 o Estado só beneficiou 2.794 agricultores em 36 municípios com recurso de R$ 6.055.021,15. Em 2015 foram 3.504 em 63 municípios com recurso de R$ 12.272.900,02, já em 2016, 3.604 agricultores comercializaram sua produção em 65 municípios com recurso de R$ 13.520.000,00. Este ano, 2017, começou com o pé direito. São mais de 11 mil reais garantidos para comercialização em 81 municípios.

A execução do PAA pode ser mista (governo federal, estadual e municipal) e pura (execução direta com o estado). Esta última modalidade, o governo do Estado está executando R$ 3.250.000,00 reais nos 30 municípios do mais IDH e nos municípios que ainda não comercializavam.

 

Sobre o PAA

 

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é uma ação do Governo Federal para colaborar com o enfrentamento da fome e da pobreza no Brasil e, ao mesmo tempo, fortalecer a agricultura familiar. Para isso, utiliza mecanismos de comercialização que favorecem a aquisição direta de produtos de agricultores familiares ou de suas organizações.

Parte dos alimentos é adquirida para a formação de estoques estratégicos e distribuição à população em maior vulnerabilidade social. Os produtos destinados à doação são oferecidos para entidades da rede socioassistencial, nos restaurantes populares, bancos de alimentos e cozinhas comunitárias e ainda para cestas de alimentos distribuídas pelo Governo Federal.

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Deixe uma resposta